TJ decide levar Cristiana Brittes a júri pelo homicídio do jogador Daniel

 TJ decide levar Cristiana Brittes a júri pelo homicídio do jogador Daniel

Os desembargadores da 1.ª Câmara Criminal, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), decidiram por unanimidade, nesta quinta-feira (20), que Cristiana Brittes vai a júri popular pelo homicídio do jogador Daniel Correa Freitas. O colegiado também decidiu “de ofício” (quando não é solicitado por nenhuma das partes e é uma decisão do juiz) por retirar o crime de fraude processual para seis, dos sete réus. O processo de Evellyn Brisola Perusso, que responde unicamente por fraude processual neste caso, foi desmembrado e os recursos dela são julgados separados.

A juíza Luciani Regina Martins de Paula, da Vara Criminal de São José dos Pinhais, havia decidido, no ano passado, que Cristiana Brittes não deveria ser levada a júri popular por este crime. Apenas pelos crimes de fraude processual, corrupção de menor e coação do curso do processo. No entanto, o Ministério Público e o assistente de acusação entraram com uma apelação criminal no Tribunal de Justiça, para reverter a decisão e mandá-la a júri.

Com o julgamento desta noite desta noite, decidido por unanimidade pelos desembargadores, Cristiana vai a júri popular. A data ainda não está definida, visto que o processo ainda poderá ter mais recursos de ambos os lados. A defesa de Cristiana também tentou retirar as qualificadoras do homicídio para Edison, David, Eduardo e Ygor (veja a relação completa dos réus abaixo). Mas os desembargadores negaram o recurso para todos os réus que respondem pelo homicídio.

“Tenho asseverado desde o início que estamos cada vez mais próximos do Tribunal do Júri, cada vez mais próximos da condenação daqueles que mataram o Daniel”.

Já a defesa da família Brittes enviou nota, informando que vai recorrer da decisão.

“Respeitamos a decisão do Tribunal, mas iremos recorrer já que contraria a posição do próprio Ministério Público de 2º grau e a pacífica jusrisprudência do Superior Tribunal de Justiça”.

Veja os crimes que cada réu do processo responde:

Edison Brittes Júnior

Homicídio triplamente qualificado: (motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima)

Ocultação do cadáver,Corrupção de menor,Coação do curso do processo

Corrupção de menor,Coação do curso do processo

David Willian Vollero Silva

Homicídio triplamente qualificado: (motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima)Ocultação do cadáver

Eduardo Henrique Ribeiro da Silva

Homicídio triplamente qualificado: (motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima),Ocultação do cadáver,Corrupção de menor

Ygor King

Homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima),Ocultação do cadáver

Fonte: RicMais